Puxando o saco ou fazendo justiça

O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Wellington Luiz (MDB-DF), vem executando um projeto administrativo causando inveja em seus adversários políticos. Na semana passada após seu nome ter sido cogitado para ocupar a vice, da pré-candidatura na chapa de Jofran Frejat (PR-DF), as redes sociais o bombardearam com publicações consideradas pela justiça, como “Fake News”.

O orçamento da CLDF vem sendo aplicado com rigor e causando polêmica quando é cortado na própria carne, mordomias que se praticavam há décadas. O Emedebista, Wellington Luiz, concorre à reeleição na Câmara Legislativa com uma larga vantagem nas pesquisas em que os eleitores reconhecem sua boa gestão.

Os adversários da sua categoria (segurança pública) disputam voto a voto usando porta vozes com o pretexto de ludibriar o eleitor difamando o candidato, imputando-lhe ficha suja, como se estivesse condenado em 2ª instância. A verdade é que o deputado responde a uma denúncia de improbidade administrativa em fase prematura de processo.

Alírio Neto, político oriundo da segurança pública, candidato que encabeça como vice, na chapa de Eliana Pedrosa, rumo ao Buriti, tenta disseminar acusações infundadas, usando blogueiros porta vozes de plantão que impunham a bandeira Fake News como estratégia para ludibriar o eleitorado.

A indicação do nome de Wellington Luiz, pelo presidente do MDB-DF, Tadeu Filippelli, impõe, como argumento para grupo político, a popularidade e a boa gestão do deputado frente a CLDF.