Brasília, 20 de janeiro de 2018
11 nov 2015
Sem categoria

Policia Militar do DF insiste no confronto com professores

 

Nem mesmo a ameça de corte de ponto, as sucessivas derrotas na Justiça acompanhada de multas milionárias assustaram a categoria dos professores que ainda estão em greve.

Hoje pela manhã a cerca de quarenta professores invadiram a presidencia da Câmara Legislativa de Brasília e vão fazer greve de fome. Também desceram para o eixo monumental rumo ao Palácio do Buriti.

No eixo monumental mais uma vez a Polícia Militar foi chamada para conter os professores e usaram gas de pimenta e foram para o confronto com alguns manifestantes

Tudo isso devido a falta de dialogo do governo do Distrito Federal que enviou a categoria na noite de ontem uma proposta totalmente diferente do que estava acordado, devido a isso os professores resolveram endurecer o jogo com o governo de Rodrigo Rollemberg.

Sobrou até para o deputado distrital, Wasny de Roure, que estava justamente na hora certa e no lugar certo, para constatar a truculência da polícia, sendo a própria vítima.

Perdeu a cobertura em tempo real? Confira os principais destaques:

14:50 – Pelo menos 350 manifestantes estão na frente da Câmara Legislativa do DF em solidariedade aos professores que estão acampados nos corredores da Casa.

14:33 – O chefe da Casa Civil Sérgio Sampaio repudiou a violência praticada por alguns professores e disse que é inadmissível que a depredação do patrimônio público seja encarada como movimento social e democrático. “Mantivemos as portas abertas do Palácio do Buriti desde o início dos movimentos para negociações”, alegou.

Não temos motivo para barrar o reajuste de qualquer categoria, a não ser a falta de capacidade financeira momentânea. Fechamos questão sobre o reajuste em outubro, mas nada impede que busquemos formas de tentar antecipar esse depósito

Sérgio Sampaio, chefe da Casa Civil do DF

14:28 – Mesmo recebidos pelo Buriti, os professores estão irredutíveis sobre o acordo com representantes do governo.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

14:24 – Os professores chegam à Câmara Legislativa e aplaudem os docentes que fazem greve de fome no local. “Ocupa, ocupa, ocupa e resiste”, gritam.

14:21 – Trânsito é completamente liberado no Eixo Monumental, após quase três horas de bloqueio.

14:15 – Após encontro de governadores no Senado Federal, Rodrigo Rollemberg comentou sobre a situação dos grevista. Ouça.

14:07 – Parte dos manifestantes deixa a praça em frente a sede do Executivo local e se dirige para a Câmara Legislativa.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

14:01Os professores votam pela continuidade da greve. Uma nova assembleia foi marcada para esta quinta-feira (12), em frente ao Palácio do Buriti.

13:57 – Cleber Soares, também do sindicato, parabeniza a categoria e a garra dos manifestantes. “O que conseguimos foi por vocês. Hoje, vamos falar com o governador e ele sabe qual a nossa pauta. Vamos seguir para a Câmara Legislativa e amanhã, estaremos aqui, às 9h, para nossa assembleia”, afirma.

13:56 – O trânsito no Eixo Monumental continua fechado.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

13:55 – Os diretores afirmam que farão um outro encaminhamento. Jairo Mendonça, do sindicato dos professores, pediu para que a categoria se una aos manifestantes da Câmara Legislativa para dar força aos manifestantes que decidiram entrar em greve de fome.

13:52 – A diretora do Sinpro-DF Rosilene Correa parabeniza a categoria pela força da paralisação.

Queremos ser respeitados e não vamos nos curvar. Não estamos brincando aqui. Só conseguimos a continuação da articulação porque tivemos força

Rosilene Correa, diretora da Sinpro-DF

13:49 – O diretor do Sinpro-DF Washington Dourado sobe no carro de som e explicou a situação. “Conseguimos ser recebidos pelo secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, Júlio Gregório (da educação), e conversamos mais uma vez. Tratamos das Organizações Sociais, da multa, do pagamento dos dias parados e do avanço que tem que ter”, disse.

O governo afirmou que a decisão da Justiça (sobre o corte de pontos dos grevistas) foi autorizativa. O que significa que eles não precisam cortar os pontos

Washington Dourado, diretor do Sinpro-DF

13:40Vídeo mostra trecho da reunião do comando da greve dos professores com integrantes do GDF.

13:37 – A comissão de professores que estava reunida com integrantes do governo acaba de deixar o Palácio do Planalto.

13:30 – O chefe da Casa Civil do DF, Sérgio Sampaio, anunciou que o governador Rodrigo Rollemberg irá receber uma comissão formada por professores ainda hoje, às 19h30.

13:18 – Policiais militares começam a divulgar fotos e vídeos (abaixo) dos momentos mais tensos durante a tentativa de invasão ao Palácio do Buriti.

 

Momento em que manifestantes tentaram invadir o Palácio do Buriti

Segundo a PM, grupos de manifestantes provocaram os policiais que faziam a segurança no local. Felizmente, o confronto não veio a se concretizar.

13:12 – A coordenação do Sinpro-DF oferece almoço para os manifestantes. A ideia é continuar o revezamento dos professores e manter todos os docentes no local. Porém, a grande maioria já foi embora.

13:01 – Os professores se revezam para manter as seis faixas do Eixo Monumental ocupadas. Um grupo que estava no asfalto sob o sol troca de lugar com outro grupo que permanecia na sombra. Dessa forma, a via permanece bloqueada.

12:55 – O chefe da Casa Civil do DF, Sérgio Sampaio, o secretário de educação, Júlio Gregório, e deputados distritais recebem comissão de professores para negociar as propostas. O clima é tenso.

12:42 – Aos poucos os professores começam a se dispersar. No entanto, as seis faixas do Eixo Monumental continuam interditadas.

*Foto: Rafaela Lima/Metrópoles**

12:33 – O tenente coronel Vasconcelos e a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) negociam durante a manifestação dos professores. “Usamos gás para que não invadissem o Buriti. Não é assim que se faz manifestação. Não vamos provocar o confronto“, diz o policial.

12:19 – Os manifestantes afirmam que irão continuar em frente a sede do Executivo Local até que uma proposta que agrade a categoria seja feita pelo governo.

12:14 – Tropa de choque da polícia militar acompanha de perto a manifestação dos professores. A reportagem do Metrópoles acompanhou o momento mais tenso do protesto, quando os docentes tentaram invadir o Palácio do Buriti. Durante todo momento os comandos da manifestação e da polícia negociaram com a intenção de evitar a repetição de cenas ocorridas em 28 de outubro.

*Michael Melo/Metrópoles**

12:00 – No momento, todas as faixas estão fechadas, o que causa um grande congestionamento no local. Veja como está o trânsito aqui.

11:54 – Com a chegada do Batalhão de Choque, os professores recuaram, mas ainda continuam ocupando todas as faixas do Eixo Monumental em frente ao Palácio do Buriti.

11:50 – Deputado distrital Reginaldo Veras (PDT) também deixa a CLDF para se reunir com os manifestantes.

11:48 – Os deputados Wasny de Roure e Érika Kokay estão dentro do palácio para negociar.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

11:45 – Os professores tiram as grades que cercam o Palácio do Buriti.

*Foto: Rafaela Lima/Metrópoles**

11:42 – A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) negocia com o Bope.

*Foto: Rafaela Lima/Metrópoles**

11:39 – Vídeo mostra o momento em que os professores invadiram o Eixo Monumental e tentaram invadir o Palácio do Buriti.

11:36 – Durante a confusão, sobrou até para o deputado distrital Wasny de Roure (PT), ex-presidente da Câmara Legislativa.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

11:34Os professores radicalizam e partem em direção ao Palácio do Buriti. Durante a confusão, um dos vidros da sede do Executivo foi quebrado. A polícia se mobiliza para conter o avanço dos manifestantes.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

11:13 – Policias jogam spray de pimenta para conter o avanço dos professores.

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

11:11 – Os manifestantes invadem o Eixo Monumental e interditam o trânsito.

*Foto: Rafaela Lima/Metrópoles**

 

11:07 – O diretor do Sinpro-DF Cleber Soares explica que um grupo de professores estão na Câmara Legislativa. Eles foram orientados a entrar em todos os gabinetes e falar com os deputados e chefes de gabinete. “Precisamos de apoio para tratar com o governo nossas reivindicação”.

11:02 – Alguns professores da rede pública do DF ocupam a entrada do gabinete da presidência da Câmara Legislativa. Eles garantem que ficarão acampados no local e farão greve de fome.

10:58 – Cleber Soares, que atua na comissão de negociação do Sinpro-DF, diz que o governo se recusa a negociar. Segundo ele, os professores se reuniram nessa terça-feira (10) com representantes do GDF, mas não houve avanço.

O governo entregou um documento que estabelece prazos, mas apresenta também provas de política neoliberal que ele pratica. Colocou explicitamente a proposta de entregar a educação para as Organizações Sociais. A resposta para o governo é esta praça lotada

Cleber Soares,. Sinpro-DF

Clique para amplicar

10:53 – Segundo estimativa da Polícia Militar, aproximadamente 5 mil pessoas estão no local.

*Foto: Rafaela Lima/Metrópoles**

10:48 – O coordenador jurídico do Sinpro-DF, Dilmas Rocha, parabeniza o movimento e atualiza sobre os manifestantes sobre as decisões jurídicas da categoria. “O recurso não conseguiu legalizar a greve. Mas nada vai nos fazer curvar. Mais uma vez, vemos um jurídico (sobre a decisão do TJDFT que considerou a paralisação ilegal) a favor do estado. Quem acaba com o movimento é o próprio movimento. Não vamos nos curvar!”

10:41 – Breno Lobo, estudante filiado a Ubes, também ressalta seu apoio aos professores. “Vamos fortalecer essa luta. Só os professores podem mudar essa realidade”.

10:33 – Fábio Público, servidor público afiliado ao PSOL, afirma que compareceu ao evento para apoiar a greve. “Estamos aqui para fazer uma leitura de que não é sobre o ataque ao dinheiro (atraso no pagamento do reajuste prometido pelo governo) e sim o ataque que Rollemberg faz sobre as políticas públicas”

10:30 – Professora Maria Holanda Lopes Carvalho sobe no carro de som e canta música composta em apoio ao movimento grevista. A canção também critica o governador Rodrigo Rollemberg.

10:22 – A estudante da UnB Emy Naiana Pinto também subiu ao caminhão para declarar todo o apoio aos professores.

10:13 – A direção do movimento se prepara para começar a dar os informes gerais. O professor da UnB Perci Coelho é o primeiro a subir no caminhão.

Quando se mexe com um professor, se mexe com todos do Distrito Federal

Perci Coelho, professor da UnB

*Foto: Michael Melo/Metrópoles**

10:08 – Líderes do movimento se preparam para dar início à assembleia.

10:01 – Professores começam a se reunir para o encontro. Até o momento, o clima é tranquilo e não há retenções no trânsito.