Notícias

CPI rejeita pedidos para ouvir Cachoeira, Bordoni e Perillo

03/07/201214:23

Twitter  Facebook imprimir enviar para amigo comente essa notícia

Foto: Divulgação

A CPI da Delta, realizada na Assembleia Legislativa de Goiás, em Goiânia, rejeitou, na manhã desta terça-feira (3), a convocação do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Também foram rejeitos, por 3 votos a 2, os requerimentos para ouvir o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e o jornalista Luiz Carlos Bordoni.

Votaram contra os requimentos apresentados pelos deputados Mauro Ruben (PT) e Daniel Vilela (PMDB) os três integrantes da base governista que compõem a CPI: o relator Talles Barreto (PTB), o líder do PSDB na Casa, Túlio Isac, e o presidente da comissão Helio de Sousa (DEM). Segundo os deputados governistas, Cachoeira deverá ser ouvido em outro momento.

Sobre a rejeição do convite a Perillo para depor, o presidente Helio de Sousa justificou: "Enquanto a CPMI [em Brasília] e a CPI [em Goiás] não desencarnarem do Marconi nós não vamos nos lembrar da Delta, que é o verdadeiro dessa comissão". A CPI goiana foi criada para investigar o possível envolvimento de autoridades e políticos com a contravenção e o crime organizado, e, ainda, a atuação das empresas Delta e Gerplan no estado.

A intimação do jornalista Luiz Carlos Bordoni também não foi aprovada. Bordoni afirma ter recebido dinheiro de caixa dois para trabalhar na campanha do tucano. O pagamento, segundo ele, ocorreu tanto em espécie, com R$ 40 mil entregue pelo próprio Perillo, quanto por depósitos de empresa ligada ao contraventor.

Em depoimento à CPI, o ex-vereador Wladimir Garcez, considerado o braço político de Cachoeira, disse que os depósitos feitos pela empresa Alberto e Pantoja na conta da filha de Bordoni são referentes a um "patrocínio", conseguido por meio de uma chantagem.

Na justificativa do voto, o deputado Túlio Isac lembrou declarações polêmicas atribuídas ao jornalista pela imprensa. "Bordoni já viajou com marcianos, já passeou com Jesus Cristo, então, ele não tem muita credibilidade para falar que Marconi [Perillo] tirou dinheiro do freezer", disse o tucano.

Para o deputado Mauro Rubem, a posição dos governistas, desmoraliza a comissão. "Se não ouvir o Cachoeira, Luiz Carlos Bordoni e o governador ela perde o sentido", reclamou o petista.
 

*G1

JF