Mino Pedrosa

OS TENTÁCULOS DE CACHOEIRA NO MINISTÉRIO PÚBLICO

14/06/201217:14

Twitter  Facebook imprimir enviar para amigo comente essa notícia

Um relatório produzido pelo grupo do contraventor Carlinhos Cachoeira e representante da Delta em Brasília, entregue ao Ministério Público do Distrito Federal nas mãos do procurador Libânio Alves Rodrigues, do CI-NCOC – Núcleo de Combate ao Crime Organizado, revelava no ano passado o interesse do Grupo Delta em comandar sozinho o lixo em Brasília. Diálogos entre o braço direito de Cachoeira, Idalberto Matias de Araújo, o Dada, com o procurador Libânio, tentam tirar do páreo a empresa goiana Quebec Construções e Tecnologia Ambiental S.A, que chegou para concorrer com a Delta e a Valor Ambiental, comprometidas com o grupo do governador Agnelo Queiroz.


Dadá preparou o relatório de inteligência (arapongagem) desqualificando a Quebec, quando estava chefiando a segurança da Delta e entregou no MP. O QuidNovi teve acesso a parte desse relatório através do MP praticamente há um ano, no dia 27 de julho de 2011, e mostrou o interesse da turma de Cachoeira em abocanhar mais R$ 15 milhões por mês com o lixo da Capital Federal. Ali o Quidnovi denunciou o envolvimento da coleta de lixo de Brasília com o crime organizado e o jogo do bicho de Goiás.
A Operação Monte Carlo mostra um diálogo gravado entre Dadá e Marcellão, funcionário da Casa Militar do Governo do Distrito Federal , no qual o braço direito de Cachoeira se queixa do tratamento que o grupo do contraventor vem tendo nos blogs, referindo-se a matéria do QuidNovi que ligava o jogo do bicho a coleta do lixo.
Na mesma gravação, Dadá fala do procurador chefe do NCOC Wilton Queiroz que estava tentando avisar para o chefe de gabinete de Agnelo , Cláudio Monteiro, que havia algumas coisas erradas no GDF que precisavam ser corrigidas. O procurador NCOC  então queria passar para Agnelo, usando o chefe de gabinete, detalhes de investigações sigilosas das quais o GDF era alvo. Dadá mantinha relações estreitas com Wilton. Chega a comentar os encontros que teve fora do MP com o procurador. É preciso se aprofundar nesta relação porque um outro araponga conhecido no meio político da Capital Federal, Jairo Martins, também tem trânsito livre no NCOC. Jairo é um dos arapongas que Carlos Cachoeira usa para se informar de assuntos da alta cúpula política do Brasil.
Jairo Martins é PM e agente da ABIN – Agência Brasileira de Informação. Na Operação Monte Carlo Jairo mostrou-se como um dos tentáculos de Cachoeira junto à imprensa e junto com Dadá foi o responsável pela destruição das concorrentes do contraventor, prendendo e fechando as casas de jogo fora do domínio de Cachoeira. Como revelou o QuidNovi Jairo acompanha Carlinhos há muitos anos prestando serviços de arpongagem.
Dadá  combina com Marcellão para levar o chefe de gabinete de Agnelo para visitar o procurador Wilton no MPDF entrando as escondidas pela garagem onde o encontro seria sigiloso, longe dos olhos dos outros procuradores que tentam combater as irregularidades no GDF. Dadá sugere a garagem porque por ali não haveria risco de serem identificados e poderiam chegar livremente até o procurador Wilton.
Ouça aqui a conversa entre Dadá e Marcellão

 
 
No final do ano passado, na véspera da entrega das propostas para a habilitação de empresas para coleta de lixo junto ao SLU, dia 19/12/2011, a Valor Ambiental entrou com um mandado de segurança para cancelar a licitação alegando preços inexequíveis.
As propostas ficaram paradas na Comissão Permanente de Licitação do SLU , nas mãos do presidente Edmundo Pacheco Gadelha, e do diretor geral do SLU João Monteiro, por 45 dias. Só começaram a se movimentar em 27 de janeiro de 2012, após a ordem de pagamento de R$ 200 mil liberada pelo Sr. Diter, diretor da Valor Ambiental, para João Monteiro.
A Valor Ambiental cancelou então o mandado de segurança, e a Comissão de Licitação abriu as propostas em 3 de fevereiro de 2012. A Valor foi consagrada vencedora com seis centavos de diferença em relação a proposta da Quebec Construções e Tecnologia Ambiental S.A., empresa de Goiás, rival de Carlinhos Cachoeira.
Desta maneira a Valor Ambiental tirou de cena a Quebec e às vésperas do depoimento de Agnelo à CPI, nesta 4ª feira, uma medida judicial cancelou todos os contratos da Delta com o GDF. A Valor agora reina sozinha no império do lixo.