Brasília, 21 de fevereiro de 2018
15 jan 2018

Leany Lemos: a mão de ferro que vai gerir 1,5 bilhão arrancado a fórceps do IPREV

Projeto bilionário nas mãos de Leany Lemos

Por: Mino Pedrosa

Nesta segunda-feira, (15) a Câmara Legislativa, votou o famoso e  polêmico projeto que vai permitir ao governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, surrupiar, remanejando 1,3 bilhão de reais do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (IPREV).

O teatro que aconteceu em duas sessões mostra de fato o poder de Rodrigo Rollemberg, sobre os deputados distritais. A sessão presidida pelo deputado, Joe Valle (PDT-DF), teve a mão de ferro da secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão,do Distrito Federal, Leany Lemos, regendo com a caneta em um tom de harmonia afinada.

As cortinas se abriram e a secretária, Leany Lemos, coordenava a tropa de choque do governo. Chamando um a um dos deputados da base e detalhando a destinação dos recursos no projeto.

Entre a leitura de uma emenda e outra a secretária, mão de ferro, usava o celular para informar ao governador, Rodrigo Rollemberg, e descrever a sintonia entre o executivo e o legislativo.

A toda poderosa secretária chegou de cadeira de roda, mas, trazendo na bolsa carta branca do governador, Rollemberg, para alterar o projeto se o líder do governo, deputado, Agaciel Maia (PR-DF), requisitasse para garantir a vitória na votação.

A votação do projeto acrescenta na Lei Orçamentária Anual de 2018, a previsão do montante para o executivo investir em obras, custeio e nomeações. Antecipa-se que R$ 407 milhões sejam destinados à saúde, R$ 298 milhões para educação, R$ 148,6 milhões à área de mobilidade e R$ 97 milhões para infraestrutura.

Vale chamar a atenção para 231 milhões que se referem a precatórios. O ex presidente do PSB nacional, Eduardo Campos, foi condenado em 2012 no maior escândalo de precatórios quando era secretário do governador de Pernambuco, Miguel Arraes, seu avô. Rodrigo Rollemberg, era considerado irmão siamês de Eduardo Campos. É preciso usar a lupa nessa manobra contra o IPREV no apagar das luzes e já em período de pré campanha à reeleição.

Leany Lemos fala com Rollemberg durante a votação do IPREV