Brasília, 21 de fevereiro de 2018
8 fev 2018

Huck deve decidir sobre candidatura nas próximas semanas

Luciano Huck deve se decidir nas próximas semanas se vai se candidatar ou não ao cargo de presidente da República. O apresentador pode anunciar sua decisão depois do Carnaval. De acordo com a Folha de São Paulo, Huck tende a se candidatar pelo PPS, mas aliados já articulam o apoio de siglas como o Democratas, o DEM.

Luciano teria dito a pessoas próximas que vai pensar no assunto durante o feriado e nesta quinta-feira, 8, teria se encontrado com Fernando Henrique Cardoso, mentor de uma possível candidatura.

Ultimato

O posicionamento de Huck tem um motivo. Nesta semana, a Rede Globo teria alertado o apresentador, indicando que sua decisão deve ser tomada o mais rápido possível. A ideia é evitar uma associação entre a emissora e um candidato e evitar polêmicas como a que aconteceu em janeiro deste ano, durante a participação de Luciano no programa de Fausto Silva. O discurso de Huck na ocasião gerou polêmicas.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) chegaram a acionar o apresentador, o apresentador do Domingão do Faustão e a própria Globo, acusando-os de abuso dos meios de comunicação. Huck enviou um pedido de arquivamento do processo ao Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, afirmando que não se candidatará. “Luciano Huck em instante algum apresentou-se como candidato, não pediu voto a quem quer que seja e reitera, como dito anteriormente, que não será candidato no pleito de 2018”, afirmam seus advogados.

O novo

Mesmo diante das negativas de Huck, entusiastas devem insistir em uma possível candidatura do apresentador. Sua vantagem, de acordo com eles, é a possibilidade de o global representar “o novo” em uma eleição que tem se mostrado mais aberta à medida que a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva se torna mais distante.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não esconde que vê a possibilidade com bons olhos. Em entrevista à Rádio Jovem Pan nesta semana, ele afirmou que a candidatura “seria uma boa para o Brasil”. “É bom ter gente como o Luciano porque precisa arejar, botar em perigo a política tradicional, mesmo que seja do meu partido. É preciso que ela seja desafiada por pessoas portadoras de ideias e processos políticos novos para que o próprio partido possa avançar”, declarou.

Fonte: Quidnovi/Yahoo