Filmes gospel e bíblicos são fenômeno no Brasil

Há quem veja uma ida ao cinema quase como experiência religiosa. Luzes apagadas, atenção coletiva direcionada para a tela, emoções afloradas. No Brasil, de uns anos para cá, a fé também tem se traduzido em sucessos de público, sobretudo por meio de produções capazes de fisgar o público evangélico. Os que se declaram seguidores dessa fés representam 22,2% da população, segundo o último censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estátistica (IBGE), publicado em 2010.

Edir Macedo, líder-fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da Record TV, colocou dois longas-metragens gospel na liderança das maiores bilheterias do cinema nacional de todos os tempos. O senso de supremacia envolveu, por sinal, o patrocínio de ingressos para os fiéis.

Nada a Perder: Contra Tudo. Por Todos, cinebiografia do bispo ainda em cartaz, e Os Dez Mandamentos (2016) lideram a lista, ambos com mais de 11 milhões de entradas vendidas. Mas sobram relatos de salas vazias nos dois lançamentos. Recordes com asterisco e nota de rodapé. Impossível quantificar o público real. Em 18 de abril de 2019, estreia Nada a Perder 2, o segundo e último capítulo sobre a trajetória de Macedo.

 

Produções da Record à parte – vale lembrar que a emissora também investe em novelas de temática religiosa –, outras adaptações bíblicas e narrativas gospel dialogam bem com as plateias. Em exibição há três semanas, Paulo, Apóstolo de Cristo combinou personagem pouco visto na telona com o rosto conhecido de Jim Caviezel, intérprete de Jesus num dos maiores hits religiosos do cinema mundial, A Paixão de Cristo (2004), dirigido por Mel Gibson.

O filme sobre Paulo, no qual Caviezel encarna Lucas, acumula plateia de mais de 550 mil pessoas e renda superior a R$ 8 milhões, segundo dados da agência comScore. Números melhores do que os do remake de Desejo de Matar, estrelado por Bruce Willis, e os do terror Verdade ou Desafio, por exemplo.

Moisés Dias/Arte/Metrópoles

MOISÉS DIAS/ARTE/METRÓPOLES

Outro título que promete se comunicar com os espectadores evangélicos chega em 30 de agosto. É o terceiro capítulo da trilogia Deus Não Está Morto, intitulado Uma Luz na Escuridão. Trata-se de mais uma novidade da Pure Flix, produtora norte-americana especializada em filmes cristãos com abordagem contemporânea. Nos últimos anos, o selo também lançou por aqui Você Acredita? (2015) e Em Defesa de Cristo (2016).

A próxima estreia do estúdio no país aposta em figura bíblica bastante popular: Sansão, com previsão de lançamento em 27 de setembro.

 

Fonte: Quidnovi/Metrópoles