Estudantes ocupam, montam barricadas e isolam reitoria da UnB

Após centenas de estudantes terem ocupado a reitoria da Universidade de Brasília (UnB) nesta quinta-feira (12/4), quando montaram barricada e decidiram passar a noite, a direção da instituição se manifestou. Em entrevista à imprensa, o chefe de gabinete da reitora Márcia Abrahão, Paulo César Marques, admitiu que a crise é realmente grave e destacou que aposta no diálogo para contornar a situação com os manifestantes. Eles montaram barricadas e isolaram o prédio.

O déficit previsto pela universidade neste ano é de aproximadamente R$ 92 milhões. “A catástrofe não é imediata. Ainda temos caminhos, mas a crise é realmente grave”, afirmou Marques. Ele confirmou ainda que a redução no orçamento vai implicar em dispensa de terceirizados. “Esse não é nosso objetivo, e sim o de recompor e aumentar a arrecadação. Mas o corte implicará em demissão”, afirmou.

Para Marques, “não há necessidade de radicalização do movimento”. “Lamento que tenha havido a ocupação. Mas entendemos que há uma dificuldade de compreensão por parte dos estudantes. A gente lamenta, mas entende que o diálogo é o melhor caminho”, destacou.

A ocupação da reitoria ocorre dois dias após a manifestação que deixou um rastro de destruição nos prédios do Ministério da Educação (MEC) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), na terça-feira (10). O movimento, aprovado em assembleia, é contra a pior crise financeira da história da instituição e não foi encabeçado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE).

O clima ficou tenso por volta das 14h30, quando 500 pessoas ocuparam o prédio, segundo cálculos da Polícia Militar. Os manifestantes pediram a chave para entrar. Como não foram atendidos, forçaram a entrada, pularam janelas e chegaram a quebrar vidros.

Alguns estavam com o rosto coberto, assim como na Esplanada dos Ministérios na tarde de terça (10), quando picharam, quebraram vidros e câmeras de segurança no FNDE e no MEC. Na ocasião, os manifestantes chegaram a entrar em conflito com a PM.

Nesta quinta (12), eles pediram uma reunião com representantes do comando da UnB, do MEC, do Ministério Público e da comunidade acadêmica para cobrar explicações sobre a crise financeira que ameaça o funcionamento de uma das instituições de ensino superior mais importantes do país.

Os estudantes querem o detalhamento das despesas e receitas da universidade, após o ministro da Educação, Rossiele Soares, ter dito que a instituição possui dinheiro suficiente para cobrir os gastos até dezembro.

Paulo César Marques conversou com os manifestantes. A expectativa é que uma reunião ocorra na próxima segunda-feira (16). “Estamos à disposição”, ressaltou o chefe de gabinete da reitoria. Os estudantes dão sinais de que vão ficar na reitoria até lá. Tanto é que já pediram para aqueles que saírem do prédio voltarem com comida e água. Também solicitaram que “ninguém quebre mais nada”.

 

Os estudantes fizeram uma barricada na rampa da reitoria, usando bancos para impedir o acesso de mais pessoas ao prédio, com exceção de quem apresentar carteirinha de aluno da UnB. E também cercaram o estacionamento. Eles ocupam o terceiro andar do edifício, onde a imprensa foi proibida de subir.

“Torço para que desocupem logo”, ressaltou Marques, acrescentando que a Polícia Federal não foi acionada. “Estamos trabalhando com a segurança da UnB”, afirmou.

 

 

Fonte: Quidnovi/Metrópoles