Brasília, 21 de fevereiro de 2018
25 jan 2018

Eleições DF 2018: o funil e os candidatos

Por: Mino Pedrosa

A epidemia síndrome da mosca azul tomou conta de Brasília. Muito cacique para pouco índio na tribo da oposição. O Buriti com o governo esfacelado vai juntando os cacos e remontando a imagem da escultura ôca que transmitiu falsas perspectivas ao eleitorado em 2014.

O candidato ao Buriti, deputado, Alberto Fraga (DEM-DF), baixou o zíper e bateu o cassetete na mesa nessa quinta-feira (25). Telefonou para o pré-candidato ao Buriti, Jofran Frejat (PR-DF) convocando uma reunião de emergência. O motivo: um duelo em pesquisas. O resultado vai definir a candidatura de ambos no cenário Buriti e Senado. No camarote VIP os caciques do PR e DEM nacional serão os juízes.

Os desgarrados do grupo de Rollemberg se unem também como oposição. O senador, Cristovam Buarque, com muita dificuldade para se encaixar no cenário político atual tenta formar um grupo buscando espaço para sua reeleição.

Na ultima terça-feira (23), o deputado federal, Rogério Rosso (PSD-DF), comandou uma reunião com mais três partidos: Celina Leão e Cristovam Buarque (PPS-DF), Joe Valle (PDT-DF), e Daniel de Castro (PSC-DF).

Com isso a oposição ao governo de Rollemberg vai ficando fracionada, acirrando cada vez mais a disputa pela principal cadeira do Buriti. Os grupos têm pelo menos quatro candidatos ao senado. Nesse balaio de gato, resta saber quem vai miar mais alto.