Deputado Federal Laerte Bessa é acusado de dar murro em subsecretário de Rollemberg

O conflito entre o governo Rodrigo Rollemberg (PSB) e o deputado federal Laerte Bessa (PR) chegou às vias de fato. Segundo o Palácio do Buriti, o parlamentar teria desferido um murro no ombro do subsecretário de Articulação Federal da Casa Civil, Edvaldo Dias da Silva, durante a Comissão Mista do Congresso Nacional para analise a Medida Provisória 821, nesta quarta-feira (23), cujo texto trata da criação do Ministério da Segurança.

A agressão teria sido motivada por um desentendimento entre Bessa e Dias na destinação de recursos para a nova pasta. Conforme a versão do GDF, o deputado federal teria apresentado uma emenda de R$ 1 bilhão, retirando recursos da Saúde e Educação para a Segurança. Mas o relator da MP, senador Dário Berger (MDB/SC) não acatou. A decisão do parlamentar teria sido decorrente de uma conversa prévia com o Governo de Brasília, representado por Dias.

Bessa teria, então, perdido o controle e partido para a agressão. Conforme o relato do Executivo, o parlamentar inclusive ameaçou o subsecretário. Além disso, Bessa teria rasgado uma cópia de um relatório do GDF. O chefe da Casa Militar do DF, coronel Márcio Pereira, teria sido testemunha.

Dias e Pereira registraram o caso na Polícia Legislativa do Congresso. Segundo o Buriti, a atitude de Laerte Bessa é uma “agressão à democracia” e um pedido de ação disciplinar e ética contra o deputado federal será enviado ao Congresso Nacional. Em nota, o GDF disse ainda que “não aceita esse tipo de atuação covarde, que não é digna de alguém que recebeu um mandato parlamentar da população, e que agindo dessa maneira envergonha a representação política”.

A reportagem tentou contato com o deputado Laerte Bessa, mas não teve retorno até a publicação desta reportagem.

Confira a nota do GDF na integra:

NOTA

O Governo de Brasília denuncia e protesta contra a infame agressão do deputado federal Laerte Bessa contra o subsecretário de Articulação Federal da Casa Civil, Edvaldo Dias da Silva, na Comissão Mista do Congresso Nacional que analisa a Medida Provisória 821, que trata da criação do Ministério da Segurança.

De forma intempestiva, o deputado federal agrediu com um soco o subsecretário do GDF que, no estrito dever legal de suas funções, encaminhara um entendimento contra uma emenda do parlamentar.

O Governo de Brasília não aceita esse tipo de atuação covarde, que não é digna de alguém que recebeu um mandato parlamentar da população, e que agindo dessa maneira envergonha a representação política.

É uma agressão à democracia, à independência dos poderes e ao Congresso Nacional, que receberá formalmente do Governo de Brasília um pedido de uma ação disciplinar e ética contra o deputado federal brasiliense.

Governo de Brasília
23 de maio de 2018

 

Fonte: Quidnovi/Jornal de Brasília