• Sem categoria
  • 3 set 2015

Com umidade a 17% e Defesa Civil anuncia estado de alerta no DF

DF registrou dia mais seco e quente do ano nesta quarta-feira, com 32.6°C.
Para Organização Mundial da Saúde, umidade relativa do ar ideal é de 60%.

Do G1 DF

A Secretaria de Defesa Civil do Distrito Federal declarou estado de alerta na capital nesta quinta-feira (3) devido à baixa umidade relativa do ar, que chegou a 17%. O estado de alerta acontece quando a umidade é inferior a 20% em um período de três dias. Abaixo de 12%, a Defesa Civil decreta estado de emergência. A temperatura máxima nesta quinta foi de 30°C.

As estações do Instituto Nacional de Meteorologia marcaram recorde de baixa umidade no DF em 2015 nesta quarta-feira, quando a umidade relativa do ar chegou a 17%, pela primeira vez do ano. O índice foi registrado  durante a tarde, quando a temperatura atingiu 32.6ºC, a mesma do dia 27 de agosto.

Segundo a Defesa Civil, a Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que a umidade relativa do ar ideal é de 60%. A OMS recomenda a decretação do estado de atenção quando os índices ficam entre 20% e 30%. O deserto do Saara, na África, registra índices entre 10% e 15%.

Devido ao estado de alerta, atividades físicas ao ar livre ficam proibidas nas escolas públicas entre 10h e 16h. Os órgãos públicos do DF também devem adotar medidas para minimizar os efeitos da seca sobre os funcionários.

A Defesa Civil recomenda a suspensão das atividades nas instituições onde for percebido qualquer sinal de agravo à saúde como tosse, falta de ar e mal-estar. A decisão de liberar estudantes e trabalhadores, no entanto, fica a cargo dos estabelecimentos.

Os locais com aglomerações e aparelhos de ar-condicionado, que retiram ainda mais a umidade dos ambientes, também devem ser evitados.

Veja algumas medidas importantes, segundo a Defesa Civil:

– Aumentar a ingestão diária de líquidos (água, água de coco) independente de apresentar sede ou não (beber pelo menos 06 copos de água de tamanho médio);

– Evitar os banhos prolongados com água quente e o uso excessivo de sabonete, para não eliminar totalmente a oleosidade natural da pele;

– Pingar duas gotas de soro fisiológico em cada narina, pelo menos 6 vezes ao dia. Este procedimento evita o ressecamento nasal, diminuindo a ocorrência de sangramento;

– Evitar o uso de aparelhos de ar-condicionado, pois eles retiram ainda mais a umidade do ambiente;

– Trajar roupas adequadas às condições do tempo. Usar roupas leves e claras, e se possível de algodão;

– Fazer refeições leves, incluindo frutas e verduras sempre que possível;

– Evitar exercícios físicos e atividades que atinjam grande esforço no período das 10h às 16h, ao ar livre. Neste período, a insolação e evaporação atingem seus índices máximos.

– Usar protetor solar, creme hidratante ou óleo vegetal em abundância para evitar o ressecamento da pele;

– Optar pelo uso de sombrinha ou guarda-chuva no período mais quente;

– Usar umidificador, ou colocar toalhas molhadas e bacias com água nos quartos durante todo o dia. Isso ajuda a manter o ambiente úmido;

– As crianças e os idosos são os que mais sofrem com a baixa umidade, pois as crianças estão com o organismo em formação, enquanto que os idosos são mais sensíveis a mudanças bruscas de ambiente. No entanto, o mal-estar causado pela baixa umidade pode ocorrer com pessoas de qualquer faixa etária.