• Sem categoria
  • 17 maio 2017

A PROPINA QUE FAZ CHATÔ, REMEXER NO TÚMULO

A delação do todo poderoso e empreiteiro Marcelo Odebrecht na Lava Jato fez Assis Chateaubriand se remexer no túmulo. O delator disse que apoiou financeiramente o jornal “Correio Braziliense”, a pedido do governador do Distrito Federal. Não se sabe ainda, se foi José Roberto Arruda ou Agnelo Queiroz. Os herdeiros de Chateaubriand entraram com uma interpelação judicial e denunciaram no Ministério Público (MPF) os condôminos que estão a frente dos Diários Associados.

Os autores da ação foram os filhos de Chatô, Thereza e Fernando Antonio nos demonstrativos financeiros, não estão registrados a entrada dos recursos. Os herdeiros acusam os controladores de traição aos ideais e as condições impostas por Chateaubriand, são aproximadamente 80 empresas, que os condôminos estão fechando e vendendo.

O Ministério Público também investiga a ajuda que o Banco Regional de Brasília (BRB) fez ao jornal Correio Braziliense.